Deputado federal  Alexandre Frota  (PSDB-SP) apresentou ao presidente da Câmara dos Deputados, na tarde desta quinta-feira (19), um terceiro pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A peça elenca seis crimes que o presidente teria cometido, entre eles o crime de responsabilidade ao apoiar abertamente uma manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), manifestação proibida pela Constituição Federal.

Também está citado no pedido,  crime contra a segurança nacional , contra a administração pública,  por descumprimento do decoro do cargo; contra a administração pública,  e por último, crime contra a saúde pública, por ter cumprimentado manifestantes na porta do Palácio Alvorada enquanto aguardava o resultado de exame para Covid-19.

O pedido também cita, para justificar crimes contra a administração pública e por falta de decoro, a exclusão do jornal Folha de S.Paulo de um evento público e  pelos ataques às jornalistas Patrícia Campos, da Folha de S.Paulo, e Vera Magalhães, do Estadão.

Pedidos anteriores

A Câmara já havia recebido mais dois outros pedidos de impeachment contra o presidente nesta semana. O primeiro, na terça-feira (17), foi protocolado pelo deputado distrital Leandro Grass, da Rede.

Um dia depois, deputados do PSOL apresentaram um segundo pedido assinado também por um grupo de intelectuais.

As peças anteriores fazem alegações semelhantes ao feito pelo deputado Alexandre Frota. As três classificam a convocação de seus apoiadores para a manifestação do último domingo, dia 15 de março, contra o Congresso Nacional e contra o STF como crime de responsabilidade.

Fonte: Agora MT